Comunicados de imprensa

09/02/2012

Aumento de capital do BID aprovado em votação

Os países membros do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovaram uma resolução autorizando um aumento de US$ 70 bilhões no capital ordinário do Banco.

A votação pela Assembleia de Governadores do BID, concluída em 31 de janeiro, foi feita por via eletrônica num espaço de vários meses, para dar tempo aos países de obter aprovações legislativas para o aumento. A Assembleia de Governadores é o órgão máximo do Banco, composto por autoridades econômicas dos 48 países membros do BID.

A resolução foi postada hoje no website do BID.

“A América Latina e o Caribe fizeram avanços importantes em anos recentes, mas enfrentam grandes desafios para atender as expectativas de seus cidadãos de alcançar padrões de vida mais altos”, disse o presidente do BID, Luis Alberto Moreno. “Graças a este aumento de capital, estaremos em melhor posição para ajudar nossa região em seus esforços para ter governos mais responsivos, economias mais inclusivas, cidades mais habitáveis e ambientes mais sustentáveis.”

O Aumento Geral de Capital (AGC) entrará em vigor assim que os países depositarem instrumentos de subscrição equivalentes a um total de três quartos das cotas do capital ordinário criadas sob o AGC. Após sua total implementação, o AGC elevará o capital do BID para US$ 171 bilhões, tornando-o o maior emprestador regional para o desenvolvimento.

A porção integralizada do aumento de capital será de US$ 1,7 bilhão, com pagamentos feitos ao longo de cinco anos. O saldo aumentará o capital exigível, que é um recurso, se necessário, para que o BID cumpra suas obrigações financeiras. O BID nunca requisitou pagamentos de seus países membros para seu capital exigível e tem mantido as mais altas avaliações de crédito em todos os seus 54 anos de existência.

Com esses recursos adicionais, o BID estará em posição de aprovar cerca de US$ 12 bilhões por ano, em média, em financiamentos no período de 2012-2021. No período de 2002-2011, a média das aprovações foi de US$ 8 bilhões por ano (excluindo empréstimos emergenciais). O BID também fornece em torno de US$ 700 milhões em doações por ano.

Sob os acordos que respaldam o AGC, o BID procurará oferecer mais financiamento para as nações menores e mais vulneráveis entre seus 26 países membros mutuários na América Latina e Caribe, focando prioridades como redução da pobreza, infraestrutura, integração, energia sustentável e mudança climática, entre outras. O aumento de capital também deixará mais recursos disponíveis para empréstimos ao setor privado. Uma série de reformas em anos recentes tornou o BID mais transparente e mais voltado para resultados.

O aumento de capital mais recente do BID foi implementado ao longo de um período de seis anos, encerrado em 1999.

¡Hola, Bienvenido al BID!

Te invitamos a unirte a nuestra lista de correo.